📱 NOTÍCIAS: faça parte do canal do SERGIPE HOJE no WhatsApp.

“A gente tá em umas condições que, sinceramente, eu me sinto excluída da cidade. Nós, infelizmente, estamos abandonados por eles que poderiam olhar mais por nós, mas não fazem. Minha vontade era de jogar ele [Padre Inaldo] na lama, pra saber o que o povo passa aqui dentro”.

É com essa fala da comerciante Fernanda Suane, de 30 anos, que começamos esta matéria. Ela vive e trabalha na rua 6 de Março, localizada no Conjunto Jardins em Nossa Senhora do Socorro. O local é de difícil acesso, principalmente neste período de chuva, quando a lama se acumula nas ruas e se mistura ao esgoto jogado a céu aberto por falta de infraestrutura e saneamento básico.

Sem coleta, o lixo fica amontoado nas ruas do Conjunto / Foto: Arthur Soares

“Aqui os idosos precisam sair e a gente não consegue chegar com o carro até a porta da casa deles. Eles tem que sair andando até onde o carro consegue chegar”, continuou ela. “Já cheguei a socorrer uma senhora de mais de 60 anos que caiu ali na esquina”, disse Fernanda enquanto apontava o dedo para uma rua íngreme, esburacada e enlamaçada.

Não só a rua 6 de março, mas diversas outras ruas ao redor dela se encontram na mesma situação. Enquanto a equipe de reportagem do Jornal Fan F1 circulava pelo Conjunto, diversos moradores abordaram os profissionais para reclamar do descaso e estado de abandono que se encontra o local. As crianças brincavam em meio à lama que se misturava com o despejo de esgoto e substâncias do lixo que não era recolhido e se encontrava amontoado onde deveriam existir calçadas.

Fernanda comentou que pouco depois do resultado das eleições municipais, o secretário de infraestrutura esteve no local para realizar trabalhos paliativos, mas quando a máquina retroescavadeira quebrou a encanação do local, os serviços foram suspensos e há meses não foram retomados.

“Eu me sinto mal de dizer que tenho um prefeito, sabe? Alguém me perguntar: ‘você mora onde?’, eu responder que em Socorro e a pessoa perguntar quem é o prefeito. Eu não conheço. É como se não existisse um prefeito aqui”.

Quem vive situação semelhante é Dona Maria dos Prazeres, de 74 anos. Encontramos ela na rua Itacanema II, no Parque dos Faróis, distante cerca de 6km de onde estávamos com Fernanda. A senhora estava com um balde, retirando a água da rua que invadiu sua casa depois da chuva e reclamou da situação vivida por ela e seus vizinhos.

Maria dos Prazeres, 74 anos, retira água e lama da rua que invadem sua casa / Foto: Arthur Soares

“Quando foi pra ele querer voto [Padre Inaldo], ele veio na minha porta, agora que ganhou não aparece aqui, porque ele não vai sujar os pés de lama, né? A situação aqui é triste, meu filho”.

De acordo com a Secretaria de Comunicação de Socorro, a prefeitura está com obras paliativas previstas para serem realizadas no local, mas que enquanto as chuvas não diminuírem fica inviável a realização do serviço. A pasta também informou ao Jornal Fan F1 que ainda não há previsão de quando as ruas da região serão pavimentadas, pois não há recursos financeiros para isso e que outras obras já estão sendo feitas neste momento em outras ruas do município.

Por Fan F1